Aiaiaiai, mensagem do dia!!! Do Lúcio, da lista da minha faculdade:

KLB desiste do show no Rock in Rio!
A vontade de cantar no palco principal do festival foi por água abaixo

Kiko, Leandro e Bruno estavam na maior expectativa de poder tocar no palco principal do Rock in Rio, mas acabaram desistindo do festival. Segundo a assessoria do KLB, o palco em que eles iriam se apresentar (Tenda Brasil) não comporta o tamanho do show que eles normalmente fazem.

> O que eu fico mais indignado é que nêgo vai no Show do Milhão, não sabe em que região fica o estado do Paraná mas sabe
> que KLB significa Kiko, Leandro e Bruno.

Lúcio – que vai no R.E.M, se Deus quiser.
http://www.geocities.com/eunaovou

Anúncios

Hoje rolou a festa de fim de ano da firrrrrrrrrrrma em que trabalho, a Navigators! Putz, firma! Essa palavra é muito trash e engraçada! Meu antigo chefe, da SKC Comunicação, falava: “Chamem a agência de bosta, lixo, chamem de tudo, menos de firma”. Hehehe!!! Well, mas voltando à festa. Teve o clássico Amigo Secreto. Ganhei da Beth, a secretária, a coletânea do Blur – The Best Of e um óculos clubber! ;o) Foi lá na Piola, uma pizzaria descoladinha nos Jardins.

Uepa!! Ficou três dias fora do ar o Blogspot. Parece que nem eles estão suportando o hype dos blogs! ;-) Pra voltar com tudo, quero falar de uma novidade que me deixou muito contente! Estou colaborando com o Central da Música. O webmaster do site, o Diego Sana, gostou do Assessorindie e me convidou para publicar as infos! Inicialmente vai ser apenas essa reprodução, mas aos poucos eu vou começar a fazer algumas matérias! Que bom, que bom! Estou hiper feliz! ;-)

A saga continua, hahahahhaa! Turma batuta da Baixada:

Rafael mandou:
1- O famoso vagabundo: Tutan.
2- Teresa, a horrenda. Ah, mas tem uma filha que uma delícia.
3- André, o Hare Kishna (não sei como se escreve essa merda) que dá porrada.
4- Hansen, o psicopata do litoral.
5- Rafa, o caçador de monstros.
6- Zé Colmeia, o cara mais retardado que a baixada já viu.
7- Uzuriaga, a mina mais baranga que a baixada já viu.

Adirsonson mandou:
Simpatia – faz tudo do Murder
Antônio Carlos – o sósia do Mussum, que trampava no Bar do 3, era segurança
Pirigozu
Hansei
Teresa
Ratinho
Vadico

Eu mandei:
– Cyrano e Louva (show de rock sem os dois não é show!)
– Maurao Afrogay (o cara q quase bateu no APJ)
– Tiozinho do Amendoim, do Gonzaga
– Seu Madruga, do ponto da praia com a Ana Costa
– A mulher das flores (a mulher que mais anda no mundo)
– O Indio flanelinha da praia
– Gláucio, do estudio de radio
– Seu Roque
– Beto Ramones, aquele que roubou o CD que o Leandro me deu de aniversário
– Aquele cara que já trabalhou em todos os sebos da Baixada e agora tá namorando a Ana Paula do Zé Renato.
– A mulher do Alípio
– Alan, o incendiário
– Sheila, aquela gordona que fica pedindo dinheiro na Ana Costa pra comprar gibi do Pokémon na livraria do Hector.

E, claro, o ícone maior: Julinho Bittencourt

Essa pérola saiu do mailzine Cardoso Online:

PROIBIDA PRA MIM
—Eduardo Axelrud—

A crescente veiculação nas emissoras de rádio da versão do Zeca Baleiro para a música “Proibida pra Mim” do Charlie Brown Jr. trouxe de volta à baila uma questão que já me incomodava desde a gravação original: que diachos o autor da música quis dizer com o refrão “Se não eu quem vai fazer você feliz – guerra.” Obviamente, a razão da minha aflição é essa palavra “guerra” totalmente despropositada e fora de contexto.

Me aprofundando mais no assunto, cheguei a algumas possíveis explicações que coloco na roda aqui pra ver se alguém me ajuda a solucionar esse mistério.

1 – A música se destina a uma pessoa belicosa, como por exemplo o Saddam Hussein, que frente à possibilidade de não poder possuir o cantor, apenas se satisfaria com um conflito armado. Só uma guerra o faria feliz.

2 – O cantor está tentando armar uma ponte para um amigo seu. Ele estaria, nessa visão, fazendo uma pergunta para ela “Se não eu quem vai fazer você feliz ?” e completando dando a informação que a única pessoa que a satisfaria tão bem como ele seria um camarada de sobrenome Guerra – talvez o Otto Guerra?

3 – A palavra Guerra é um vocativo – a menina tem o sobrenome Guerra, e ele está deixando claro que é com ela mesmo que ele está falando, como quem diz, pára de olhar para o outro lado e ouve o que eu tô te dizendo, Guerra. Essa é a versão menos plausível, porque a própria canção a contraria alguns versos antes quando o cantor justifica (também meio absurdamente) que não poderia ligar para a menina por não saber o nome dela (sic).

4 – O cantor está, ao lançar esse desafio para a menina de encontrar alguém melhor que ele, declarando guerra contra a menina. Como quem diz “Ah, é? Não me quer? Então agora é guerra”.

5 – A gente é que não escuta direito e na verdade ele não está dizendo guerra, mas sim alguma outra palavra parecida, como “Serra” (ele estaria sugerindo que apenas uma viagem a Gramado poderia ser melhor que ela ficar com ele) ou “Berra” (ele estaria pedindo para a mulher responder a pergunta “Se não eu…” num tom de voz mais alto, pois ele não consegue ouvir a resposta) ou “Terra” (aí seria um merchandising do provedor de internet, o único com serviços completos que poderia “fazer você feliz”)

***************

GUERRA
—Fabiano Goldoni—

Como já dizia a minha avó, eu sou “meio duro de ouvido”. Não ouço direito, mesmo. A minha mãe acha que isso é um problema de falta de atenção. Não sei bem. Mas eu só estou dizendo isso porque eu sempre achei que a palavra “guerra”, entendida pelo amigo dono desse espaço, na música do Zeca Balero era, na verdade, uma espécie de urro ou gemido, tipo “Yeh. Heammmm!!!”.

Acho que essa interpretação vem de um vício auditivo da minha adolescência causado pelo Guns’n’Roses, cujo vocalista usava muito esse recurso. As músicas eram cheias de “Uóóóóóóóóóuóuóh Sweet child o’mine…” e “…TimeAinhainhaihnaihn…” entre outras coisas que eram mera decoração para os ouvidos e não tinham nada a ver com a letra.

O Zeca Balero não quis dizer nada, mesmo. É só um gemido que ele deve ter aprendido com o Axel, o Rose, e colocou na letra pra deixar a música mais…mais… (A palavra me fugiu agora. Mas eu acho que “boiola” serve.)

Para os que escutam “guerra”, a teoria mais aceitável é de que a música foi feita pra Andrea Guerra. Porém (sempre existe um porém), na música o cara diz “eu não sei o teu nome…” ou coisa parecda e aí vem a dúvida: será que ele só sabe o
sobrenome? Ou será que ele diz outra coisa? Ontem eu tava quase escutando “guelra” e achando que o cara era filho de um
pescador pobre e só tinha guelra com farofa pra oferecer pra mulher amada.

Marcus! Não sou mãe, mas fiquei extremamente emocionada com a mensagem sobre a sua filha!!! Coisa mais linda!!!! Putz, não tem jeito, sou uma manteiga derretida mesmo! ;”)

Putz, e-mail do dia!!!!! Eu que acho os caras da Breinstormi os mais filhos da puta que eu conheço, mas esqueci da prata da casa, Fabião Martins! Veja a sutileza que ele mandou pra nossa lista da faculdade, a Filhos da Facos. Pena que só quem era da Facos vai achar graça! ;-)

“Continuando a lista de personalidades antes divulgadas, começamos uma nova somente com celebridades santistas:

01) Paulinho Siri
02) Bruxo
03) Jorge Paralelas
04) Nazi (amigo do Leandro)
05) Rogério Muletinha (puta cara chato)
06) Matheus (afff mãe)
07) Baldinho
08) Murder (Evandro – que virou taxista)
09) Arnoldo (o nosso garçon Tatu)
10) Tarso
11) Fera
12) Perigoso
13) Paulista (onde está?)
14) Júnior (White Frogs)
15) Lou Reed (acho que é Abimael- amigo do Hector)
16) Kid Groselha
17) Zé Renato – Fúria OI
18) Alípio do estúdio de rádio
19) Benalva
20) Ana Marta

Irmãos, por favor enriqueçam essa nobre lista e procuremos o Rogério aleijadinho para batermos um papo com aquele mala sem alça (mas de muletas)

Fábio Martins – Sem dó nem piedade

Até o 02 Neurônio aderiu ao Ui! E com ponto de exclamação, viu, Poplist? ;oP

O preju de Leo Leonardo Di Caprio está em apuros. O roteirista e ator Roger Wilson, 41, acusa o loirinho de cumplicidade numa briga que o feriu, em março de 1998. Segundo Roger, Leo ficou dando em cima de sua namorada e ainda incitou seus amigos a começarem uma grande briga. Antes, a corte havia rejeitado a acusão mas agora, na Corte de Apelações de Manhattan, o processo foi aceito. A ação é de US$ 45 milhões. Ui!