Colapso

O Brasil é muito estranho… O povo veste branco pra clamar por vingança (e não pela prevenção e diminuição da criminalidade), a maior apresentadora de TV tá louca pra dar uns pipocos e diz isso ao vivo pra todo país, um cardeal defende a redução da maioridade penal e um rabino se declara a favor da pena de morte.

O engraçado é que nunca vi ninguém pedir pena de morte pra corrupto… A roubalheira que juízes, políticos e empresários lanfranhudos cometem desde que o Brasil é Brasil diretamente ou não também causa a morte de milhares de inocentes. Mas alguém já foi pras ruas pedir cadeira elétrica pro Inocêncio Oliveira, pro Lalau, pros fraudadores do INSS?

Não estou defendendo criminoso, só acho lamentável os “formadores de opinião” só se manifestarem quando a classe média é atingida. Bandido que cometeu crime hediondo tem sim que cumprir pena até o final e trabalhar na cadeia pra se sustentar. Embora a gente tenha mania de reclamar que não gosta de sustentar vagabundo na prisão mas contra sustentar vagabundo no Congresso Nacional ou Câmara Municipal ninguém reclama com tanta veemência. Pensando bem, eu preferia pagar pra manter um criminoso no xilindró a pagar pra manter um picareta no poder.

E ainda acho que a violência no Brasil é pouca. Perto do descaso e humilhação pelos quais o povão passa diariamente isso aqui já deveria ter virado um caos maior ainda…

Peguei esses links no Trabalho Sujo, site que não é de auto-ajuda mas que toda semana tem algum texto ou entrevista que muda minha vida. :-)

“Se você não acredita que tem o melhor selo do planeta, que suas bandas são as melhores bandas do planeta, que os shows das suas bandas são os mais incríveis, que você está revolucionando TUDO, qual é o ponto?” (Du Ramos, da Slag)

“De Leve tentou corresponder às expectativas dos pais entrando para a Faculdade de Biblioteconomia da UFF, mas trancou a matrícula e depois abandonou o curso de vez. Também quase migrou do rap para o funcionalismo público: passou no concurso para auxiliar judiciário com quase 80 de pontuação, mas até hoje não foi chamado. Se fosse convocado agora, não iria: “Hoje em dia todo mundo acha minha música legal porque saiu na televisão (em “Cidade dos Homens”, da Rede Globo). Meu irmão, que é bombeiro, dizia que eu fazia música pra maconheiro. Agora todo mundo tá feliz, alegre, agora é legal”, constata, rindo.” (Cissa Gianetti entrevista De Leve)

Se o Brasil fosse um país justo, talvez a pena de morte pudesse vir a ser discutida.

Por enquanto, e provavelmente pelos próximos 100 anos, essa “opção” não deveria entrar nem em cogitação…

Tim Festival – Impressões que tive pela TV

the rapture = o melhor.

lambchop = não fede nem cheira.

streets = o disco é bonzão mas ficou meio sem graça ao vivo.

public enemy = chatão com banda.

k.d. lang = curti. bonita a cover de “crying”.

beth gibbons & fulano = meio chato.

white stripes = demolition doll rods que deu certo.

los hermanos = o som tava meio tosco.

front 242 = sem graça.

naçao zumbi = putz, não consigo gostar. foi mal aê, hehe.

peaches = como ganhar dinheiro fácil.

figurões do jazz = não curti nenhum.

álvaro pereira jr = bocó, mas lindão.

Lá vem…

. Morri de inveja dos shows do TIM Festival. Mas se tudo der certo aí vem o Tineijão em março do ano que vem pra compensar e nos vingar dos cariocas. ;oP

. Quero ir nesse festival INDIE HIP HOP que vai rolar neste findi no Sesc Santo André com show do Blackalicious e uma pá de banda brazuca. Preciso de 38 reais ou uma carona.

. Apesar do sotaque baiano e da afetação do Lázaro Ramos, “O Homem Que Copiava” é um dos melhores filmes brasileiros do ano. E eu vi o Fred, Miss Koltrane! ;-D

. Por falar em cinema brasileiro, quando cismam com um ator ele aparece em um monte de filme um atrás do outro. Foi assim com o Matheus Natchergaele (tá certo isso?), com aquele Gero Camilo, com o Wagner Moura, com esse Lázaro Ramos… Meio panelinha, né não?

. A minha vizinha não venceu mas essa nova loira do Tchan ganhou merecidamente.

. Coisas bacanas que tenho escutado: De Leve, “Hey Ya”, do Outkast, o novo do Basement Jaxx e aquela do Richard X com a Kelis. E ontem encontrei a Déa e o Felipe da Falecida FM e ele me apresentou o DJ Peanut Butter Wolf. Muito bão!

. Dia 14/11, sexta-feira, tem 1 ano de POPSCENE!