Durante News

Oi, pessoal! Sumi um pouco mas cá estou, cheia de novidades…

1) A partir de hoje produzo quinzenalmente para o site Show Livre a coluna Mondo Durante. A idéia é falar de iniciativas bacanas que rolam pela cena independente no Brasil além de dicas de sons, lugares, sites etc.

2) Hoje sou uma das DJ convidadas da festa que a banda paulistana Seychelles está organizando no Hole Club (mesmo espaço dos clássicos Nation e Armageddon). Vai rolar também expo de fotos de Serguei Dias (/deusb), Dani Spadotto (/ordea), Marília Vasconcellos (/lilllah), vídeos de Pedro Bayeux, telas de Pedrinho e discotecagem de Harry Potter e Dedo. Endereço: Rua Augusta, 2203 – Jardins – Info: (11) 9877.9357. Ingressos: R$ 10 (s/ flyer), R$ 8 (c/ flyer), free (mulher até meia-noite) – a casa aceita dinheiro ou cheque Horário: 22h.

3) Na sexta-feira darei som no Muzik Bar & Lounge, que fica quase em frente ao Retrô. Lá vou rolar um som o mais MTV possível pois o público não é muito alternativo, sabe? Mas acho bem legal explorar outras vertentes. Já djeizei em noites HC, metal, hip-hop, só faltava uma boy-balada! ;-) O Muzik fica na Rua XV de Novembro, 68 – Centro Histórico de Santos. Horário: 23h. Ingressos: H – R$ 30, M – R$ 20.

4) E, claro, no sábado tem a Popscene, com show do The Boom Boom Chicks (São Paulo) e DJs convidados Gigi e Fabrício (Garage Fuzz).

5) Veja as fotos do show que o tara_code fez dia 15/07 em Salvador. A apresentação foi um sucesso! As do show do Vellocet, que rolou dia 1/07 em BH, disponibilizarei depois e aviso aqui. Também obteve uma ótima repercussão! Até cartão do prefeito eles receberam. ;-D

Feliz Dia do Amigo! ;-)

tara_code lança “Azul e Roxo” dia 15 de julho em Salvador

Banda se apresenta no Pelourinho com entrada franca

O tara_code (Salvador/BA) lança seu primeiro CD, “Azul e Roxo”, dia 15 de julho, na Praça Tereza Batista, no Pelourinho, com entrada franca. Formado pela vocalista e artista plástica Andréa May e pelo guitarrista e produtor musical Gilberto Monte, o tara_code mostra sua composições em um clima de experimentações poéticas, visuais e musicais com influências de eletrônica, post rock, trip hop, acid jazz.

No palco, a dupla se apresenta com os músicos Tiago Aziz (baixo), Emanuel Venâncio (bateria), além da participação especial de DJ Môpa, do Núcleo Pragatecno, e do VJ André Debeauvais, do Coletivo Mote. Entre as apresentações mais importantes do tara_code estão a do projeto “Isto é Música?!”, com curadoria de Hermano Vianna, no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro, em novembro de 2004, e na primeira edição do Curitiba Pop Festival, em março de 2003.

“Azul e Roxo” foi gravado de forma independente no home studio de Gilberto Monte, com exceção da bateria, gravada em um estúdio em Salvador, e masterizado em São Paulo. É distribuído pela Tratore e pode ser encontrado em lojas especializadas ou através dos sites Submarino, Somlivre do inglês MizzBrazil.com e do japonês HMV.co.jp.

Serviço::

Show: tara_code
Data: 15 de julho, sexta-feira
Local: Praça Tereza Batista, no Pelourinho – Salvador/BA
Horário: 22 horas
Ingressos: Entrada Franca

Cristalino

(China)

Vou morrer nos seus olhos, menina
Não há tempo de me salvar
Vou correr pros seus olhos como luz
Na sua íris me afogar.

Minha vida passando na sua vista
Você nem pisca
Lacrimeja e se irrita.

Cristalino, cristalino

Pois agora é muito tarde
Já estou na sua retina
Se o pensamento não lembrar
Vou morrer nos seus olhos, menina.

Cristalino, cristalino

Tem alguém de Salvador aí?

Se tiver, amanhã vai rolar o show de lançamento do CD, clipe e novo site do tara_code, banda que estou divulgando. É no Pelourinho, com entrada franca.

Saiu uma matéria bem bacana hoje no jornal A Tarde. E o flyer tá no fotolog do Assessorindie.

Graças à Nossa Senhora do Indie tô pegando só banda boa pra trabalhar! ;-)

Vellocet faz show de lançamento de CD dia 1o. de julho em BH

“O Vellocet é mais um bom exemplo de que a força do cenário independente é o que move a música no Brasil”, Felício Marmo, site Nokia Trends

“A banda mantém, em seu trabalho homônimo, a tradição que Minas Gerais tem de sempre dar ao pop brazuca grandes grupos de indie rock”, Humberto Finatti, coluna Zap/Dynamite On-Line

“Lotado de referências, o CD de estréia da banda Vellocet (…) é algo para iluminar uma manhã cinzenta de São Paulo. São onze lindas pérolas pop (…), Valdir Antonelli, site Drop Music

“Um jogo de espelhos agridoce e afiado”, Kiko Ferreira, jornal O Estado de Minas

O Vellocet lança seu primeiro CD, auto-intitulado, dia 1o. de julho no Teatro Izabela Hendrix, em Belo Horizonte. O trabalho foi lançado pelo selo paulistano Slag Records e tem arrancado elogios da imprensa musical.

Formado por Emerson Teixeira (vocal e guitarra), Bruno Retes (baixo e backing vocal), Ítalo Teixeira (teclado) e Fabrício Coqueiro (bateria), o Vellocet surgiu em 1997 e já se apresentou nos principais festivais de BH e em várias capitais do País. Em 2004, a guitar-band abriu um dos shows da consagrada banda escocesa Teenage Fanclub no SESC Pompéia, em São Paulo.

A apresentação é composta basicamente por canções do recém lançado CD, como “Skating Under Candies”, “Highway to a Dream” e “Some Kind of Way”. Esta última, assim como no álbum, vai contar com a participação
especial de Marina Gomes.

Serviço::

Show: Vellocet
Data: 1o. de julho de 2005, sexta-feira.
Horário: 21 horas.
Local: Teatro Izabela Hendrix – Rua da Bahia, 2020, Belo Horizonte/MG.
Info: (31) 3330-7219 ou teatro@ihendrix.br
Ingresso: R$ 10 + 1kg de alimento não-perecível.
Venda Antecipada: CD Clube – Galeria Praça 7, térreo; Pasárgada – Galeria Edifício Maletta, nível 2; Futura Express – Bias Fortes, 162.

Material de imprensa (bio, release CD, fotos e capa) no link Assessoria.

Onde encontrar “Azul e Roxo”

O primeiro CD do tara_code já esta à venda. Veja aqui a lista dos locais fornecida pela Tratore.

Pela internet

Brasil:
Submarino
Somlivre
Exterior:
Mizzbrazil (Europa)
HMV (Japão)

Lojas

CE – Fortaleza
Baby House
MG – Juiz de Fora
Planet Music
PA – Belém
Ná Figueredo
PE – Recife
Livraria Cultura
RJ – Rio de Janeiro
Modern Sound
RS – Porto Alegre
Liv. Cultura RS
SP – Santos
Disqueria
Realejo
SP – São Paulo
Banana Music
Baratos Afins
Compact Blue
Disconexus
Livraria Cultura-Vil
Mauro Discos
Pop´s Discos
Sensorial Discos
Terra Madre

Sou brasileira e não desisto nunca, haha!

Responda ao teste!

Quanto à corrupção no país, assinale abaixo em qual governo foram montados os esquemas abaixo de corrupção e qual deles foi omisso ante o fato:

Operação Vampiros no Ministério da Saúde
Governo FHC ( ) Governo Lula ( )

Operação Ajuste Fiscal no INSS
Governo FHC ( ) Governo Lula ( )

Operação Guabiru no MEC
Governo FHC ( ) Governo Lula ( )

Operação Anaconda contra membros do Judiciário
Governo FHC ( ) Governo Lula ( )

Operação Curupira no IBAMA
Governo FHC ( ) Governo Lula ( )

Operação Farol da Colina contra a evasão de divisas
Governo FHC ( ) Governo Lula ( )

Operação BANESTADO contra a farra de remessa ilegal de dinheiro
Governo FHC ( ) Governo Lula ( )

Quanto à moralidade dos partidos políticos e de seus integrantes:

Qual dos partidos políticos abaixo tem membros seus envolvidos em assassinatos.
PT ( ) PFL ( ) PCdoB ( ) PSDB ( )

Quais dos partidos políticos abaixo tiveram integrantes seus envolvidos no escândalo Sete Anões do Orçamento.
PT ( ) PFL ( ) PV ( ) PSDB ( )

Quais dos partidos políticos abaixo tiveram integrantes seus com o mandato cassado por falta de decoro parlamentar.
PT ( ) PFL ( ) PDT ( ) PSDB ( )

Quais dos partidos políticos abaixo têm algum integrante envolvido na extorsão ao Governador de Roraima.
PT ( ) PFL ( ) PMDB ( ) PSDB ( )

Quanto à seriedade, competência e moralidade dos últimos governos federais, responda as seguintes questões abaixo:

Assinale com a letra A qual o Presidente que viajava mais ao exterior para receber títulos honoris causa e proferir palestra a custa do erário público e com a letra B qual o Presidente que viaja mais ao exterior para aumentar a exportações brasileiras:
FHC ( ) Lula ( )

Assinale com a letra A qual o Presidente que decidiu ficar com o sucatão e alugar aviões de companhias áreas, pagando até três vezes mais que os custos normais, e com a letra B qual o Presidente que decidiu aposentar o sucatão e comprar um avião que vai representar uma economia de até 40% nos custos das viagens nos próximos 10 anos:
FHC ( ) Lula ( )

Assinale com a letra A qual o Presidente que aumentou o número de desempregados no Brasil e com a letra B qual o Presidente que mais criou empregos nas últimas duas décadas:
FHC ( ) Lula ( )

Assinale com a letra A qual o Presidente que desmontou o serviço técnico-administrativo do Estado, pagando quase o dobro do que se gastava na contratação de empresas, e com a letra B qual o Presidente que está restaurando e modernizando o serviço técnico-administrativo do Estado com novos concursos públicos:
FHC ( ) Lula ( )

Assinale com a letra A qual o Presidente permitiu a proliferação de bodegas universitárias que vendem diplomas e com a letra B qual o Presidente que está pondo um ponto final na farra “Vou montar uma faculdade e ganhar dinheiro fácil vendendo ensino superior de baixa qualidade”:
FHC ( ) Lula ( )

Assinale com a letra A qual o Presidente destinava quase 2 bilhões de reais a fundo perdido e sem a obrigação de prestar contas para ongs, fundações, consultorias, assessorias e tantas outras, e com a letra B qual o Presidente que está acabando com esta farra e fazendo o dinheiro para investimento social chegar de fato aos interessados e não aos bolsos dos tecnocratas terceirizados e politicamente corretos, que normalmente destinavam migalhas aos carentes e gastavam o resto com os seus apartamentos de coberturas, haras, compras em Miami, eventos para autopromoção etc.:
FHC ( ) Lula ( )

Quanto ao PT e os partidos de oposição ao mesmo, responda as seguintes questões abaixo:

Mesmo o PT tendo ganhado as eleições de 2002, por quais razões ele não teria direito ocupar e gerenciar a administração pública:
( ) Com eles na administração o projeto de sucateamento e desmonte das empresas públicas e estais vai ficar comprometido, impedido uma futura privatização;
( ) O PT ganhou as eleições, mas o direito de ocupar os cargos na administração das empresas públicas e estatais é do PSDB, do PFL, do PPS e de seus aliados, das quais eles tiram o seu sustento político e podem fazer negociatas para uma futura privatização nas quais eles venham a ocupar cargo relevantes e bem remunerados;
( ) Daqui a pouco, o povinho também vai querer mandar nas empresas públicas e estatais, quando todo mundo sabe que elas devem servir as elites e aos interesses dos partidários do PSDB, do PFL, do PPS e de seus aliados.

Com o PT no governo qual o procedimento a ser utilizado em relação a este partido:
( ) Caso ocorra algum caso de corrupção em Marte e nele estejam envolvidos 999 filiados ao PSDB e um que um dia votou no PT, devemos acusar o PT de partido corrupto
e etc.;
( ) Mesmo que o governo consiga melhorar a situação social e econômica dos brasileiros, o mais importante é creditar o sucesso a Papai Noel e dizer que ele se aconselha todo dia com FHC;
( ) Mesmo que o PT diminua sensivelmente a corrupção, devemos ficar atento se algum integrante do PT comprou algum confeito sem pedir nota fiscal e acusar o partido de estar incentivando a sonegação fiscal;

Por qual razão é importante acusar o PT de corrupção e criar um clima de instabilidade política:
( ) Desse jeito o cidadão esquece os quase 1,5 de dólares que o Presidente do Banco Central recebeu durante o governo de FHC para salvar bancos falidos e vender dólar a preço de banana;
( ) Com este alarido, o cidadão brasileiro não vai perceber que o PSDB só tem retórica e nenhum projeto político para o Brasil quando voltar ao poder, podendo então quando lá estiver instalado voltar a fazer as maracutaias de sempre;
( ) Assim, o cidadão não vai perceber que os governos do PSDB estão investindo menos na área social, promovendo a elisão fiscal, mando o povo se virar com os criminosos, promovendo investimentos para as empresas que financiam suas campanhas, gastando à toa com gastos e mordomias dos seus governos;
( ) Desta forma ninguém vai percebe que o que nós chamamos de administração moderna e competência gerencial nos governos do PSDB é de fato a mais deslavada corrupção com terminologia eufemística.

tara_code lança primeiro CD, “Azul e Roxo”

O tara_code (Salvador/BA) lança com distribuição pela Tratore o CD “Azul e Roxo”. Formado pela vocalista e artista plástica Andréa May e pelo guitarrista e produtor musical Gilberto Monte, o tara_code mostra em seu primeiro álbum dez composições inéditas em um clima de experimentações poéticas e musicais com influências de eletrônica, post rock, trip hop e acid jazz.

O trabalho conta com participações especiais de Arto Lindsay (guitarra e produtor associado), Cicinho Assis (acordeon), Joatan Nascimento (trumpete), Gilberto Gil Santiago (percussão), Charles Veiga (sintetizador) e ainda os músicos convidados Emanuel Venâncio (bateria), Tiago Aziz (baixo) e DJ Môpa do Núcleo Pragatecno (pickups). O projeto gráfico inclui ilustrações de Carla Barth (RS) e design de Edinho Sampaio.

O show de lançamento de “Azul e Roxo” é no dia 8 de julho, sexta-feira, no Festival de Inverno de Garanhuns, em Pernambuco (breve mais informações). Na seqüência, shows em Recife, São Paulo e Salvador. O tara_code já se apresentou no projeto “Isto é Música?!”, com curadoria de Hermano Vianna, no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro, e na primeira edição do Curitiba Pop Festival, em 2003, entre outros eventos.

Afinada com os novos rumos da tecnologia, a dupla procura disponibilizar seu trabalho em vários formatos, como em mp3 (através do site www.taracode.com.br, que está sendo reformulado para estrear com novo layout essa semana), em um iPod virtual e em formato polifônico no site da operadora de celular Claro com a faixa ?O Avesso da Tristeza?.

O CD foi gravado de forma independente no home studio de Gilberto Monte, com exceção da bateria, gravada em um estúdio em Salvador, e masterizado em São Paulo. É distribuído pela Tratore e pode ser encontrado em lojas especializadas ou através dos sites Submarino, Somlivre, do inglês MizzBrazil e do japonês HMV.

tara_code é:

Andréa May – voz e FX.

Gilberto Monte – guitarra, teclados, sintetizadores, programações, computador e arranjos.

“Azul e Roxo”, tara_code

(2005 – Independente/Distribuição Tratore)

Preço Recomendado: R$ 22


Imprensa:

Flávia Durante

Mesóclise-a-trois

Era a terceira vez que aquele substantivo e aquele artigo se encontravam no elevador. Um substantivo masculino, com um aspecto plural, com alguns anos bem vividos pelas preposições da vida. E o artigo era bem definido, feminino, singular: era ainda novinha, mas com um maravilhoso predicado nominal. Era ingênua, silábica, um pouco átona, até ao contrário dele: um sujeito oculto, com todos os vícios de linguagem, fanáticos por leituras e filmes ortográficos.

O substantivo gostou dessa situação: os dois sozinhos, num lugar sem ninguém ver e ouvir. E sem perder essa oportunidade, começou a se insinuar, a perguntar, a conversar.

O artigo feminino deixou as reticências de lado, e permitiu esse pequeno índice. De repente, o elevador pára, só com os dois lá dentro: ótimo, pensou o substantivo, mais um bom motivo para provocar alguns sinônimos. Pouco tempo depois, já estavam bem entre parênteses, quando o elevador recomeça a se movimentar: só que em vez de descer, sobe e pára justamente no andar do substantivo. Ele usou de toda a sua flexão verbal, e entrou com ela em seu aposto.

Ligou o fonema, e ficaram alguns instantes em silêncio, ouvindo uma fonética clássica, bem suave e gostosa. Prepararam uma sintaxe dupla para ele e um hiato com gelo para ela. Ficaram conversando, sentados num vocativo, quando ele começou outra vez a se insinuar. Ela foi deixando, ele foi usando seu forte adjunto adverbial, e rapidamente chegaram a um imperativo, todos os vocábulos diziam que iriam terminar num transitivo direto.

Começaram a se aproximar, ela tremendo de vocabulário, e ele sentindo seu ditongo crescente: se abraçaram, numa pontuação tão minúscula, que nem um período simples passaria entre os dois.

Estavam nessa ênclise quando ela confessou que ainda era vírgula ele não perdeu o ritmo e sugeriu uma ou outra soletrada em seu apóstrofo. É claro que ela se deixou levar por essas palavras, estava totalmente oxítona às vontades dele, e foram para o comum de dois gêneros. Ela totalmente voz passiva, ele voz ativa. Entre beijos, carícias, parônimos e substantivos, ele foi avançando cada vez mais: ficaram uns minutos nessa próclise, e ele, com todo o seu predicativo do objeto, ia tomando conta dela inteira.

Estavam na posição de primeira e segunda pessoas do singular, ela era um perfeito agente da passiva, ele todo paroxítono, sentindo o pronome do seu grande travessão forçando aquele hífen ainda singular. Nisso a porta abriu repentinamente. Era o verbo auxiliar do edifício. Ele tinha percebido tudo, e entrou dando conjunções e adjetivos nos dois, que se encolheram gramaticalmente, cheios de preposições, locuções e exclamativas.

Mas ao ver aquele corpo jovem, numa acentuação tônica, ou melhor, subtônica, o verbo auxiliar diminuiu seus advérbios e declarou o seu particípio na história. Os dois se olharam, e viram que isso era melhor do que uma metáfora por todo o edifício. O verbo auxiliar se entusiasmou, e mostrou o seu adjunto adnominal.

Que loucura, minha gente. Aquilo não era nem comparativo: era um superlativo absoluto. Foi se aproximando dos dois, com aquela coisa maiúscula, com aquele predicativo do sujeito apontado para seus objetos.

Foi chegando cada vez mais perto, comparando o ditongo do substantivo ao seu tritongo, propondo claramente
uma mesóclise-a-trois. Só que as condições eram estas: enquanto abusava de um ditongo nasal, penetraria ao gerúndio do substantivo, e culminaria com um complemento verbal no artigo feminino.

O substantivo, vendo que poderia se transformar num artigo indefinido depois dessa, pensando em seu infinitivo, resolveu colocar um ponto final na história: agarrou o verbo auxiliar pelo seu conectivo, jogou-o pela janela e voltou ao seu trema, cada vez mais fiel à língua portuguesa, com o artigo feminino colocado em conjunção coordenativa conclusiva.

[redação feita por uma aluna do curso de Letras, da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco – Recife), que obteve vitória em um concurso interno promovido pelo professor titular da cadeira de Gramática Portuguesa.]

Manicure

Infelizmente perdi mais uma vez a Parada GLBT. Mas assisti de casa, com gosto, toda a manifestação!

O que fico com pé atrás é esse alarde que fazem em relação ao grande potencial consumidor do público gay… Não se esqueçam das bichinhas ralés! Elas merecem tanto respeito quanto as bees providas de aqüé!

No final das contas, o preconceito maior é com o pobre.