Priceless

Conhecer pessoalmente um artista que você admira e ele ser melhor do que a expectativa não tem preço! O Mark Ronson, DJ e produtor que é minha obsessão dos últimos meses, é um querido, fofo e atencioso! E tinha tudo pra ser o oposto disso, talentoso, rico e lindo que é e com a mulherada caindo matando em cima.

O Royal Club parecia não ter nada a ver como um dos palcos do Motomix. É uma boate de grã-fino com uma Stellinha a R$ 10,00, ingresso caro que espantou seus fãs, boa parte indies freqüentadores do Milo Garage. Mas acabou se revelando um espaço perfeito pois como é pequeno ficou um ótimo clima intimista.

Tanto que criei coragem e pedi pra ele tocar uma música do Shocking Blue, “Send Me a Postcard”, que eu havia lembrado como era legal através de seus podcasts na East Village Radio. A voz da Mariska Veres era uma das mais bonitas da música pop em minha opinião. (Aliás, dia 02/12 faz um ano que ela faleceu.)

Foi o que bastou pra rolar toda uma comunicação entre a gente, hahaha! O moço ficou super entusiasmado por eu ter pedido essa música e tocou uma dobradinha SB com essa e “Venus”, a mais famosa da banda. E como se não bastasse beijou minha mão, perguntou meu nome e lembrou dele depois!!! Ouvir meu nome saindo da boca daquela figura que até ontem eu só conhecia de fotos, vídeos e mp3 foi surreal, haha!

Aí no final, quando fui entregar um presente que eu havia preparado (uma caixa cheia de CDs de música brasileira, mixtapes, uma garrafinha de cachaça, fitinhas do Nosso Senhor do Bonfim, cartões postais, flyers e um livro de fotos de grafitti brasileiro), ele ficou super emocionado e falou que não abriria na minha frente pois ficaria envergonhado! ;”)

Quanto ao seu set foi bem divertido! Estava programado ele tocar no máximo duas horas mas acabou tocando da 1 às 5 da matina pois ele ficou bem feliz com a reação do público. Mesmo sendo fã ardorosa do cara confesso que nossos DJs daqui não ficam devendo em nada, principalmente o Guab que, aliás, estava lá pois também é um grande fã de Mr. Ronson. Mas mesmo se eu tivesse pago os tais R$ 150,00 não teria me arrependido nem um pouco pois ouvir “ao vivo” as músicas que foram trilha sonora da minha vida este ano, o disco dele e o da Amy, foi bem emocionante. Que ele volte o mais rápido possível a SP, desta vez com banda! Todos que vi na internet em festivais ou programas foram brilhantes!

Uma das coisas que mais gosto na música é de como ela faz a gente se sentir com 15 anos novamente, sem medo de ser feliz! Essa maratona de tietagem fechou 2007 com chave de ouro!

PS: E pensar que em “who I’d like to meet” em meu MySpace estão Mark Ronson, Calvin Harris e o Michael Jackson, hahaha! Agora só faltam os dois últimos! ;-)
Anúncios

6 comentários sobre “Priceless

  1. Não conhecia o trabalho do Mark mas achei bastante interessante e confesso que deu uma pontadinha de dor por ter perdido algo tão legal no Brasil.Venho acompanhando o seu blog a algumas semanas e gosto dos posts. Gostaria de ganhar minha vida com a música também hahaha ;)Obrigado pelo comentário. Não sei como descobriu o blog mas fico agradecido por tirar a poeira dos comentários =D Beijo ;*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s