Maratona Teenage Fanclub – Faltam 2 dias: fãs escolhem suas músicas favoritas

Perguntei pra fãs notórios qual sua música favorita do Teenage Fanclub. Vejam as respostas do #TeamEverythingFlows! ;-)

Liv Brandão, Rio de Janeiro/RJ: “Quem são esses fanhos?”, perguntou uma estúpida Liv adolescente ao irmão, que ouvia um pedaço de “Dumb dumb dumb”, do então recém-lançado “Howdy!”. Com uma conexão a 14.400 kbps em plena vigência da Era Napster, o irmão mais velho tentava a duras penas baixar o disco novo de uma tal banda escocesa de nome não condizente com o som que faziam: Teenage Fanclub parecia estar mais pra 5ives e Xtinas, que àquela época Livzinha já andava ignorando por conta da nascente paixão pelo britpop. Não sei por que diabos, mas mesmo achando aquele vocal estranho, resolvi catar os CDs daquela banda na coleção do meu irmão e PLOFT. Bateu. Com todos os álbuns de estúdio disponíveis, corri para tentar baixar tudo mais o que eu conseguisse – e a conexão capenga permitisse: lado B, gravação ao vivo, mp3 com os caras assoviando. Tudo valia. Até que encontrei essa versão acústica de “Everything Flows”, uma das coisas mais bonitas que já ouvi nessa vidinha. Pirei mesmo, pirei tanto que, graças a ela (e a todas as outras, confesso), o TFC entrou pra lista de preferidas do coração. E ainda bem que a primeira impressão não ficou.

Luiz Alberto Moura, Rio de Janeiro/RJ (irmão da Liv): “Everything Flows”… Foi quando tudo começou. Naquele Reading Festival que a Band passou. Essa música teve o mesmo efeito que “Smells Like Teen Spirit” teve em mim em 91. O Teenage (e o Nirvana) me fez querer ter uma banda. Tanto que a minha banda se chamava grandprix, pelo disco deles. E “Everything Flows” ainda é a minha música preferida at all. 

Alexandre Sigrist, Americana/SPEra final de 1992 e, não sei a razão, a TV estava ligada na Band, então chamada Bandeirantes. Eu até sei a razão, mas não vem ao caso. Do nada, começa um especial sobre o festival de Reading daquele ano. Pavement, L7, Mudhoney – uma banda melhor que a outra. De repente, entra o Teenage Fanclub, banda da qual eu já havia lido bastante na saudosa revista Bizz e cujo disco da época, o “Bandwagonesque”, era um tipo de sonho de consumo meu – o vinil, nacional e disponível até aqui em Americana, era lindão (é até hoje), mas eu queria mesmo era o CD. A música escolhida pela produção foi “Everything Flows” e eu fiquei simplesmente maravilhado. Com a banda, com a música, com o festival e com a galera pulando e dançando mesmo no meio daquela lama toda. No catártico final da música (dá pra ver aqui, junto com “The Concept” e “Satan”. “Everything” é a última música do primeiro vídeo de dez minutos na lista), eu me vi imaginando se um (então) garoto de Americana um dia conseguiria “experienciar” aquilo. 1992! Os anos, claro, foram se passando. Vieram Sonic Youth, deixei de odiar e passei a amar Jesus & Mary Chain, vieram Smashing Pumpkins, Weezer, Flaming Lips, Wry, Delgados e Urusei Yatsura. Mas o jovem Sig ainda se lembrava do especial da Band e seguia ouvindo “Tineijão”, buscando versões de “Everything Flows” (tem até uma do Pin Ups, cantada pelo Marco!) e sonhando com esse show. Que finalmente aconteceu em 2004. Se não me engano, a última música de um dos shows em São Paulo foi exatamente “Everything Flows” e eu não pude deixar de me lembrar do clipe de 1992 e comparar. Eles já estavam bem tiozinhos (o que contraria os versos “we get older every year, but you don’t change, or I don’t notice you’re changing” da música), o local era fechado e não era um festival, muito menos Reading. Mas a catarse era a mesma! Alguns dias depois, em Curitiba, no lendário Curitiba Pop Festival, tive a chance de viver de novo aquele videoclipe dos meus tempos de jovem Sig. A emoção e a alegria foram tão fortes que eu me prometi nunca mais ouvir a música, só para eternizar aquele momento na memória. E eu vinha mantendo a promessa, que obviamente vai ser quebrada nos próximos dias com um novo show do TFC aqui no Brasil. É claro que eu adoro “About You” e “Star Sign”. Sonhei em cantar “Your Love Is The Place Where I Come From” como introdução a um pedido de casamento. Tentava curar algumas deprês ouvindo “Verisimilitude” (e ficava ainda mais triste). Mas a minha predileta do Teenage Fanclub sempre vai ser “Everything Flows”. Acho que dá para entender por quê :)

Amanhã tem mais respostas… 
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s