Los Nuevos Sonidos Colombianos, la mixtape

Já que falo tanto disso, fiz uma playlist no Deezer de novos sons colombianos, espero que gostem! ;-)

Tem muita coisa que legal que ficou de fora pois ainda não está no Deezer. Ouçam no player ou pegando o link aqui (infelizmente pra ouvir na íntegra só estando cadastrado no site):

PS: Estou entre os 20 finalistas do concurso #TheAnswerisColombia, um concurso que rolou no Twitter na semana passada pra sortear 6 viagens para a Colômbia! A resposta final deve sair na próxima semana. Torçam por mim!!! E muito obrigada a todos que deram RT e ajudaram a divulgar!!! ♥

Edward Sharpe & The Magnetic Zeros divulga data, tracklist e capa de seu terceiro álbum

O Edward Sharpe & The Magnetic Zeros divulgou hoje a data, capa e tracklist de seu terceiro álbum, autointitulado. O disco sai dia 23 de julho nos EUA e dia 29 no resto do mundo.

“Essas canções significam tudo pra mim. É a coisa mais crua, liberal e violenta que já fizemos”, disse na internet Alex Ebert, vocalista e líder da banda.

A tracklist é essa:

Better days
Let’s get high
Two
Please!
Life is hard
If I were free
In the lion
Country calling
They were wrong
In the summer
Remember to remember
This life

E a capa:

Eles também anunciaram uma extensa turnê pela América do Norte e Europa. Pra variar, nada de Brasil ainda. :-(

Nenhum single ainda foi divulgado, então vamos ficar de olho na fanpage da banda pois eles devem fazer isso nos próximos dias www.facebook.com/themagneticzeros

Enquanto isso a gente mata saudade com o mais recente clipe da banda, o super alto astral “That What’s Up”, uma das minhas músicas favoritas da banda! ♥

"Somos Tão Jovens": minhas lembranças da Legião Urbana


Renato era chato mesmo, “Somos Tão Jovens” tem uns atores muito ruins e uns diálogos pueris. Mas não vou negar que dei uma choradinha no final do filme. ~apagar~

Faltou um capricho muito maior pra um filme sobre um personagem de tamanha importância, mas não deixa de ser emocionante ver parte da história de nossa cultura pop nas telonas. Assim como os documentários musicais estão registrando de forma digna a nossa música, que as cinebiografias também continuem se proliferando. O ponto a favor do filme é a interpretação do Thiago Mendonça, que mandou muito bem nas cenas da banda ao vivo, interpretando ele mesmo as músicas.

Sim, fui bem fã da Legião Urbana e assistindo ao filme lembrei de vários momentos de minha pré-adolescência e juventude. De quando eu era bem novinha e passava a noite ligando pras rádios em Santos pedindo “Índios”, a minha favorita, pra gravar em uma fitinha K7. E rezava pro locutor não tagarelar em cima da porra da música! *rs

Com carinho, lembrei da Teresa, grande amiga da época do colegial no Primo Ferreira, e do João, meu melhor amigo na Facos, dois dos maiores fãs de Legião Urbana que conheci. Nunca me esqueço de como o João ficou triste com a notícia da morte do Renato Russo, em 1996, quando estávamos no terceiro ano da faculdade. ;~~

E do único show da Legião Urbana que eu vi, dia 14 de janeiro de 1995 na Reggae Night, em Santos. Foi um show caótico tanto pra banda, – clima tenso, Renato de má vontade e pra piorar, jogaram uma lata de cerveja nele e, com raiva, ele passou parte do show deitado no palco -, quanto pra mim, pois minha companhia deu perda total (por motivos alcoólicos) e eu não sabia se ia embora ou se ficava pra ver o show. *rs Felizmente consegui ficar até o final, afinal nem imaginava que aquele seria o último show da história da banda. Noite inesquecível!

Enfim, embora o filme não seja lá essas coisas, pra quem gosta de música, é fã da banda ou viveu essa época, ainda assim vale a pena assisti-lo.

Achei o fatídico show no YouTube:

"Que Pasa Colombia": webdocumentário mostra a nova cena musical colombiana

Já que eu virei setorista de Colômbia, aqui vai mais um registro que prova que o país é a bola da vez de quem realmente se interessa por música.

Dirigido Olivier Hoffschir e Thomas Petitberghien, o documentário “Que Pasa Colombia”, que estreou dia 18 de abril na internet, é uma produção francesa que mostra a cena musical atual colombiana, de Bogotá a Medellín, passando por Cali e Barranquilla.

São mostrados bandas e artistas locais como Bomba Estéreo, Freaky Colectivo, Pernett, Frente Cumbiero, Kartel Pacífico, Monsieur Periné e Systema Solar, além de dois britânicos que adotaram o país como segundo lar e divulgam sua música pelo mundo, como Will Holland (o Quantic) e Richard Blair (do Sidestepper).

No site e no Tumblr do filme é possível ver fotos, links e vídeos das bandas entrevistadas e notas de produção. www.quepasacolombia.fr e http://quepasacolombia.tumblr.com

Dá pra ver o webdoc aqui, que tem apenas 33 minutos. O filme é em espanhol com legendas em francês mas dá pra entender tudo perfeitamente. ♥

Que Pasa Colombia – Webdocumentaire (VOST FR) from Que Pasa Colombia on Vimeo.

Anthony Bourdain mostra a cultura e gastronomia da Colômbia em seu novo programa na CNN, "Parts Unknown"

O mais recente episódio de Parts Unknown, novo programa do Anthony Bourdain, foi gravado na Colômbia. Nunca vi nenhum programa do chef, mas como o país me interessa muito, fui atrás dessa vez.

Além da gastronomia, natureza e da receptividade do país, grande destaque vai, claro, para sua incrível música. Boa parte da trilha do programa é do Ondatropica e há entrevista com os seus músicos.

Veja aqui o programa, dividido em três partes no YouTube. Só me deu ainda mais vontade de conhecer o país!

Si quiere conocer el océano Pacífico vaya a Chile.
Si quiere conocer el océano Atlántico vaya a Jamaica. 
Si quiere conocer los Andes americanos vaya a Bolivia. 
Si quiere conocer las llanuras del Orinoco vaya a Venezuela. 
Si quiere conocer las selvas del Amazonas vaya a Brasil. 
Si quiere conocer las culturas precolombinas vaya a México o Peru. 
Pero si quiere conocer todo ello junto… venga a Colombia.

Como foi a volta do The Knife aos palcos, na estreia da turnê de "Shaking The Habitual"

Ontem em Bremen, na Alemanha, a dupla sueca The Knife voltou aos palcos depois de sete anos! Eles iniciaram a turnê de seu quarto álbum de estúdio, Shaking The Habitual.

Ao contrário do minimalismo da tour de Silent Shout, onde apenas Karin e Olof ficavam em cena, desta vez o show está mais próximo de um espetáculo pop dos infernos, com muitas projeções, luzes, figurinos, performances e muitas, muitas dancinhas. Um dos destaques é a participação inusitada do Deep Aerobics, um grupo performático de NY criado pelo coreógrafo Miguel Gutierrez, que mistura dança contemporânea, jazz e aeróbica (!!!).

Como disseram em seu site oficial, “Nós, The Knife, nos apresentaremos ao vivo. Estaremos, no palco, seremos ao todo sete, as vezes dez, ou até mais. Nós trabalhamos duro juntos. Idéias e conceitos foram trabalhados, testados, descartados, aprimorados e descartados novamente…”

O setlist da estreia no Setlist.FM:

A Cherry on Top (Shaking The Habital)
Raging Lung (Shaking The Habital)
Bird  (The Knife)
Without You My Life Would Be Boring (Shaking The Habital)
A Tooth for an Eye (Shaking The Habital)
One Hit (Silent Shout)
Networking (Shaking The Habital)
Wrap Your Arms Around Me Wrap Your Arms Around Me 
Ready to Lose (Shaking The Habital)
Got 2 Let U (Deep Cuts)
Full of Fire (Shaking The Habital)
Stay Out Here (Shaking The Habital)
Silent Shout (Silent Shout)

Aparentemente os alemães não são de filmar muito os shows então até agora os fãs só encontraram fotos e trechos no Vine. Vejam! ;-)

 O staff da turnê (via @luciesound)

A barraca de merchan. Dá-lhe capitalismo! *rs

Karin ♥ 

 Olof?

Update: Agora sim, vídeos!


Bremen

Hamburgo

Vou realizar um sonho e ver o show do Knife no Primavera Sound, em maio em Barcelona. Vai ser minha primeira viagem ao exterior e logo pra um festival de música com The Knife. Pensem na minha ansiedade e felicidade? ;-)))

Fontes: The Knife Brasil, The Knife Fans, aku @ Vine, Junior Soprano @ Facebook

Documentário "It Came From Detroit" mostra a histórica cena garage rock da cidade

No pôster do doc, Mick Collins, ícone do rock de Detroit, membro do The Gories e Dirtbombs

Quando vim morar em São Paulo pela primeira vez, nos idos de 1998, a cena underground da cidade vivia uma onda de revival do garage rock. Era a época do Borracharia Bar, do Alternative, da primeira Torre do Dr. Zero, dos shows do Thee Butchers Orchestra, Red Meat, Fuzzfaces, Spots, do selo Ordinary Recordings, dos mods da Zona Leste, e várias outras coisas legais que marcaram minha chegada à Capital. Lembra quando a gente era tudo amigo?

Enfim, através dessas bandas me encantei pelo The Gories e pelo o Demolition Doll Rods, que fez shows sensacionais em São Paulo no ano 2000. E foi com alegria que descobri a existência de um documentário sobre a cena garage rock de Detroit, cidade que não só presenteou o mundo com a Motown, com Madonna e com o MC5, mas também com bandas do mais puro e enérgico rock n’ roll.

Produzido por cinco anos, “It Came From Detroit” foi dirigido por James R. Petix e Sarah Babila e mostra o antes e depois das atenções terem se voltado à cidade após a explosão do White Stripes, outro filho da terra. Foi aí que os nossos coleguinhas jornalistas ansiosos por um novo hype começaram a chamar Detroit de “The Next Seattle” e o doc analisa como essa popularidade inesperada impactou a vida dos músicos locais.

Há trechos de shows e entrevistas com bandas como Demolition Doll Rods, The Detroit Cobras, The Dirtbombs, The Gories, The Von Bondies, The White Stripes, Electric Six e Brendan Benson. Um dos narradores é ninguém menos do que Wayne Kramer, guitarrista do MC5.

O filme ainda não foi lançado oficialmente, mas o seu trailer pode ser visto abaixo. O diretor vai abrir uma campanha no Kickstarter para obter recursos para o financiamento da distribuição do filme. As notícias sobre ele você pode acompanhar pela fanpage do doc ou pelo seu site oficial.

Abaixo, algumas fotos do show do Demolition Doll Rods no finado Galpão 16, em novembro de 2000. Fotos por Aninha Antoniolli. ;-)

Invasão latina em São Paulo

Ainda estou muito longe de ser uma especialista em bandas e artistas latinos mas volta e meia me encanto por algumas e viro fã de carteirinha. Como os Babasónicos (banda de pop rock da Argentina), o Desorden Publico (grupo de ska da Venezuela) e o Ondatropica, que abriu meus olhos para a minha nova obsessão atual, a Colômbia. É uma pena que aqui do Brasil a gente tão pouco olhe pro lado e não acompanhe bandas e artistas que estão fazendo um ótimo trabalho tão perto daqui.

Estive neste sábado no Festival Sensacional, em Belo Horizonte e lá pude conhecer mais duas bandas ótimas: os Los Broster, da Argentina, e o Monsieur Periné, da Colômbia. Essas bandas terão outras datas em São Paulo, junto com outros hermanos. Se eu fosse você não perderia! ;-)
O Los Broster toca nesta terça-feira, 5 de fevereiro, no Studio SP, ao lado das Las Taradas, na festa Invasão Argentina.
E o Monsieur Periné se apresenta sábado de Carnaval, dia 9, com o Mcklopedia (Venezuela), no projeto Sin Fronteras, no Sesc Vila Mariana. As duas bandas também são atrações do Rec-Beat 2013.

Para conhecer mais artistas independentes latinos: Nuevos Sonidos Latinoamericanos, Latinidade, Avalanche Tropical (e os sets do Dago Donato no Neu Club), Escena Indie en Colombia, Yo No Hablo,
Cambio

Mais dois filmes sobre northern soul previstos pra 2013

Depois de “Soulboy”, de 2010, mais dois filmes apresentam o fascinante e ainda um tanto obscuro universo da northern soul para as novas gerações.

O primeiro é o documentário “The Wheel”, história do The Twisted Wheel, clube de Manchester que foi o berço da northern soul. O doc vai ser exibido pela primeira vez dia 3 de fevereiro com uma grande festa em sua cidade de origem.

Este é o trailer:
O outro é “Northern Soul, The Film”, uma ficção com estreia prevista para o verão do Hemisfério Norte. Dirigido por Elaine Constantine, o filme conta a história de dois jovens rapazes que tiveram suas vidas mudadas ao descobrirem a soul music americana.
Este é o teaser:
Vamos torcer e pedir para produtores/organizadores pra ele ser exibido no Brasil pelo menos em algum festival! ;-)

* Pra conhecer mais sobre a northern soul acesse o blog Coletivo Action