Tudo sobre o Baile do Bowie que acontece neste sábado 6 de janeiro no Cine Joia

bailedobowie2018-flyerquadrado

Neste sábado, 6 de janeiro, acontece a quarta edição do Baile do Bowie, festa que produzo desde 2015 em São Paulo. Minha intenção com essa noite, além de homenagear David Bowie, é resgatar a diversidade no rock, que anda muito hetero e se esqueceu como rebolar é bom. Por isso priorizamos DJs e drags, em um clima mais de pista de dança do que de show.

Um de meus orgulhos na vida foi ter enxergado David Bowie em Ikaro Kadoshi. A primeira vez em que ele interpretou o artista inglês foi em 2015, na primeira edição do Baile do Bowie que produzi em fevereiro no Alberta #3. A partir daí foi impossível não convidá-lo novamente para as outras edições do baile pois a simbiose foi instantânea.

20150211-IMG_3814

2015 (Foto: Marcelo F.)

Em 2016 o baile passou a ser realizado no Cine Joia, sempre na semana do aniversário de Bowie (8 de janeiro), em uma edição que ficou marcada até hoje em nossas memórias. Nem imaginaríamos que dois dias depois ele faleceria. Ficou a sensação de termos homenageado nosso ídolo ainda em vida. Aliás, se há um artista cuja genialidade sempre foi celebrada esse foi Bowie. Não existe um “virou fã depois que morreu” pois quase todo mundo já era fã ou gostava muito de pelo menos uma dúzia de músicas dele.

DSC_3073

2016 (Foto: Felipe Prado)

Em 2017 comemoramos os 70 anos de Bowie e Ikaro interpretou “As the world falls down”, uma das músicas da trilha sonora de “Labirinto”, filme que marcou as crianças dos anos 80. Deu pra ver vários trintões chorando na platéia com a performance! <3

IMG_8359-74

2017 (Foto: Marcelo F.)

Pra 2018 estamos preparando outro baile lindo, com duas canções ainda não dubladas pelo Ikaro. Desde o ano passado deixei de discotecar na festa e passei a focar na produção e na divulgação. Vão tocar o Daniel Martins, que se tornou DJ residente do baile, e as maravilhosas Debbie Hell, Joyce Guillarducci e Paula Pretel, todos muito fãs de Bowie. As maquiadoras serão Melina Beraldo e a Niége Benedito. A hostess e apresentadora será mais uma vez a bafônica Sarah Schwarz. A novidade para essa edição serão as performances de Ginger Moon e Greta Dubois, integrantes do Riot Queens, grupo que se destacou na noite de São Paulo reunindo drags mulheres.

bailedobowie-djdanielmartins_felipeprado

DJ Daniel Martins. (Foto: Felipe Prado)

bailedobowie-djdebbiehell_felipeprado

DJ Debbie Hell. Foto: Felipe Prado

Outro momento bem bacana da festa é o concurso de looks inspirados em David Bowie. Dessa vez vamos premiar os dois primeiros colocados com camisetas das grifes all sizes gaúchas Chica Bolacha e Chico. Não é obrigatório ir montado mas é muito legal quando participam, o clima fica maravilhoso! Pra quem não é habilidoso com make, as primeiras pessoas que chegam podem ser maquiados por Melina Beraldo ou Niége Benedito. É só chegar cedo e retirar a senha com a hostess na porta. Cada maquiadora atenderá cerca de 30 pessoas no mezanino.

bailedobowie-concurso03_marcelofdesouza

Concurso de looks em 2017 (Foto: Marcelo F.)

Muitos me pedem para fazer mais vezes mas não vejo sentido em fazer mais uma edição por ano em São Paulo, pois a ideia é celebrar o artista em seu aniversário. Então aproveitem pois depois só em 2019! ;-)

Compre já o seu ingresso, aproveite enquanto ainda está no primeiro lote a 30 reais. Na porta vai estar 50! O link de vendas online é https://www.ingresse.com/ingressos-cine-joia-baile-do-bowie Dá pra comprar também na bilheteria do Cine Joia hoje e amanhã das 10h às 14h e das 15h às 18h. Ou no sábado uma hora antes da abertura da festa, que começa às 23h.

Pra quem tá meio duro nesse começo de ano e não quer perder a festa, as fanpages David Bowie Brasil e a Cansei de Mainstream estão fazendo sorteios de pares de ingressos. Não deixem pra última hora!

Espero vocês! <3

bowie

Minhas montações em 2015, 2016 e 2017

Baile do Bowie 2018 @ Cine Joia
Praça Carlos Gomes, 82 – Liberdade – São Paulo/SP (Metrô Liberdade – Linha Azul)
Data: 06/01/2018 das 23h às 5h
Show principal: Ikaro Kadoshi
Performances: Ginger Moon, Greta Dubois
DJs: Daniel Martins, Debbie Hell, Paula Pretel, Joyce Guillarducci
Hostess: Sarah Schwarz
Beauty artists: Melina Beraldo, Niége Benedito
Ingressos: Lote 1 – R$ 30; Lote 2 – R$ 40; Porta – R$ 50
Evento: http://bit.ly/bailedobowie2018
Ingressos: http://bit.ly/ticketsbaile2018
RP: Flávia Durante
Produção: Cena Pop Eventos Criativos 
Apoio: Chica Bolacha e Chico

Stocky Bodies

Onde encontrar diversidade de corpos nos bancos de imagens

Stocky Bodies

Crédito: Exemplo de imagem do Stocky Bodies

Os “headless fatties”, gordos sem cabeça de tantas matérias e campanhas

A publicidade e imprensa finalmente começam a enxergar a diversidade de corpos e não fazem mais do que a obrigação. Mas pessoas gordas ainda são muito representadas na mídia através de um de seus mais lamentáveis estereótipos, os “headless fatties”. São fotos de homens e mulheres gordos sem cabeça, geralmente desleixados e de moletom, que ainda ilustram muitas matérias e campanhas. Ninguém precisa estar lindo e arrumado 100% do tempo, mas não é preciso representar pessoas gordas somente através desse estigma.

Uma das iniciativas recentes mais interessantes em termos de representatividade no segmento plus size foi a parceria do site Refinery29 com a marca plus size Lane Bryant e a Getty Images. Eles criaram a 67percentcollection, um banco com imagens positivas de pessoas gordas em cenas corriqueiras como escovando os dentes, chamando um taxi na rua, praticando esportes, colocando maquiagem ou mexendo no celular. Coisas que qualquer pessoa faz, inclusive eu e você.

Outros bancos de imagens com corpos gordos são:

O Rudd Center faz parte da Universidade de Connecticut, nos Estados Unidos, além do banco de imagens, conta também com diretrizes para jornalistas tratarem de assuntos relativos a pessoas gordas evitando perpetuar estigmas. Dá para baixar aqui.

Pessoas gordas são mais do que seu tamanho. Elas não precisam estar só em especiais de moda plus size ou em matérias sobre preconceito, distúrbios alimentares e culpa na alimentação. Podemos ser personagens e protagonistas também de artigos e campanhas de maquiagem, bancos, carros, esportes, maternidade, tecnologia, música, sabão em pó, até de manteiga… E, não se esqueçam, elas têm cabeça, profissão e nome!

Stocky Bodies

Crédito: Exemplo de imagem do Stocky Bodies

UPDATE 08/08/2017:

No Brasil, foi lançado esta semana o Mulheres inVisíveis, o primeiro banco de imagens nacional focado em diversidade. O site inclui fotos de mulheres gordas, negras, trans, tatuadas, enfim, pessoas comuns que vemos pelas ruas. As imagens foram criadas pela 65/10, consultoria especializada em mulheres, em parceria com o coletivo CatsuStreet e estão à venda nos sites Fotolia e Adobestock, com renda revertida para a expansão do banco de imagens.

“Há dois anos trabalhamos para mudar a maneira que a mulher é representada na publicidade. E há dois anos nos deparamos com a dificuldade para mulheres negras, gordas, lésbicas e trans nos castings e escolhas de imagens dos clientes. O Mulheres inVisíveis nasceu como resposta prática a isso, para não ter a desculpa de ‘não encontramos essas imagens nos bancos”, conta Thaís Fabris, uma das sócias da 65/10. “A ideia é também fomentar o debate sobre a necessidade de uma publicidade mais diversa e inclusiva”.

mulheresinvisiveis

Imagem do banco do Mulheres inVisíveis