Stocky Bodies

Onde encontrar diversidade de corpos nos bancos de imagens

Stocky Bodies

Crédito: Exemplo de imagem do Stocky Bodies

Os “headless fatties”, gordos sem cabeça de tantas matérias e campanhas

A publicidade e imprensa finalmente começam a enxergar a diversidade de corpos e não fazem mais do que a obrigação. Mas pessoas gordas ainda são muito representadas na mídia através de um de seus mais lamentáveis estereótipos, os “headless fatties”. São fotos de homens e mulheres gordos sem cabeça, geralmente desleixados e de moletom, que ainda ilustram muitas matérias e campanhas. Ninguém precisa estar lindo e arrumado 100% do tempo, mas não é preciso representar pessoas gordas somente através desse estigma.

Uma das iniciativas recentes mais interessantes em termos de representatividade no segmento plus size foi a parceria do site Refinery29 com a marca plus size Lane Bryant e a Getty Images. Eles criaram a 67percentcollection, um banco com imagens positivas de pessoas gordas em cenas corriqueiras como escovando os dentes, chamando um taxi na rua, praticando esportes, colocando maquiagem ou mexendo no celular. Coisas que qualquer pessoa faz, inclusive eu e você.

Outros bancos de imagens com corpos gordos são:

O Rudd Center faz parte da Universidade de Connecticut, nos Estados Unidos, além do banco de imagens, conta também com diretrizes para jornalistas tratarem de assuntos relativos a pessoas gordas evitando perpetuar estigmas. Dá para baixar aqui.

Pessoas gordas são mais do que seu tamanho. Elas não precisam estar só em especiais de moda plus size ou em matérias sobre preconceito, distúrbios alimentares e culpa na alimentação. Podemos ser personagens e protagonistas também de artigos e campanhas de maquiagem, bancos, carros, esportes, maternidade, tecnologia, música, sabão em pó, até de manteiga… E, não se esqueçam, elas têm cabeça, profissão e nome!

Stocky Bodies

Crédito: Exemplo de imagem do Stocky Bodies

Evento Mulheres Digitais acontece neste sábado na Cásper Líbero

mulheresdigitais

Uma seleção de estratégias digitais apresentadas pelas mulheres mais criativas do mercado

No dia 10 de outubro acontece na Cásper Líbero a primeira edição do Evento Mulheres Digitais, que traz a participação de grandes nomes femininos do mercado digital. Tive a honra de ser convidada para o painel sobre o mercado de moda plus size e suas estratégias digitais participando ao lado das queridas colegas jornalistas e blogueiras Juliana Romano e da Paula Bastos (Grandes Mulheres).

“O Evento Mulheres Digitais foi idealizado para discutir estratégias e ideias criativas para o mercado digital, realizada por mulheres. Espero que este evento possa dar início a uma equalização no cenário atual dos eventos de comunicação liderados só por homens. Existem muitas mulheres no mercado digital realizando projetos incríveis e elas precisam ser ouvidas.”, comenta Ricardo Maruo, um dos idealizadores do evento.

mulheresdigitais_banner

O Mulheres Digitais conta com profissionais de diversos segmentos e a programação inicia-se com apresentação de Viviane Mansi, Gerente Global de Comunicação do Grupo Votorantim e professora da Pós-Graduação da Faculdade Cásper Líbero, mostrando como as mulheres atuais podem tomar posse das oportunidades que o mercado digital oferece. Em seguida uma palestra bem humorada com a professora da ESPM e curadora do Evento Share, Liliane Ferrari, que relembra como eram as estratégias digitais em uma época em que não existia o Facebook.

Às 10h30 a gerente de produtos de Buscofem, Michelle Machado, explica como é possível tornar uma marca de medicamento em uma love brand com uma estratégia bem feita. Ainda antes do almoço a jornalista Ariane Freitas e a publicitária Jessica Grecco, do Indiretas do Bem, contam como foi a estratégia de transformar uma simples página do Facebook em algo muito maior, espalhando o “bem” por toda web, gerando uma série de produtos.

Após o almoço, às 13h30, as jornalistas e blogueiras, Ju Romano, Paula Bastos e Flávia Durante mostram o crescimento do mercado plus size e contam quais estratégia digitais são interessantes para um mercado que movimenta mais de R$4,5 bilhões ao ano. Às 14h30, a fundadora do site Plano Feminino, Viviane Duarte, fala sobre bom senso no mercado digital e como ser relevante frente a bombardeios de conteúdos sobre emponderamento feminino. Após o coffee break, às 15h30, pela primeira vez em um evento Carla Alzamora mostra o estudo detalhado sobre a representatividade de gêneros e raças na publicidade brasileira. Às 16h15 as publicitárias Cris Bartis e Juliana Wallauer gravam pela primeira vez uma edição do Mamilos para portal B9 com a participação da plateia.

O Evento Mulheres Digitais ainda tem o apoio das marcas Café 3 Corações, Cacau Show, Trampos.co, Plano Feminino, Buscofem, a fotógrafa Adriana Líbini, Indiretas do Bem e Podcast Mamilos.

O evento acontece no dia 10 de outubro, no teatro da Faculdade Cásper Líbero. Os ingressos tem um valor único de R$120,00 e as compras podem ser feitas através do site: www.eventomulheresdigitais.com.br. Leitores do Blah Blah Blog que utilizarem o código MD4010promo ganharão 40% de desconto na inscrição! ;-)

Serviço Mulheres Digitais:

Onde: Auditório da Faculdade Cásper Líbero
Data: 10 de outubro/2015
Endereço: Avenida Paulista, 900 – 1º andar
Horário: Das 8h10 às 17h30
Ingressos: R$ 120,00 através do site www.eventomulheresdigitais.com.br
Fanpage: www.facebook.com/eventomulheresdigitais

Leia também: a entrevista que dei para o site Trampos, parceiro do evento. :-)

Grife Elvira Matilde lança coleção em parceria com o blog DasPlus

Muito antes de se falar em “movimento plus size” no Brasil a Elvira Matilde sempre foi uma grife all sizes, oferecendo todas as peças de suas coleções até o tamanho EXG. No início dos anos 2000 a marca mineira manteve uma loja em Santos, no Shopping Praiamar, e era lá mesmo que eu costumava comprar roupas com um estilo mais despojado. Se hoje ainda temos dificuldade de encontrar roupas diferentes acima do 46, imagina há dez anos? Infelizmente a loja em Santos fechou e não cheguei a conhecer a loja que existia na Vila Madalena, em São Paulo, mas nunca me esqueci desse pioneirismo.

A marca agora afina ainda mais a relação com o universo plus size lançando uma coleção-cápsula em parceria com as queridas e lindas blogueiras e modelos do DasPlus, Silvia Neves e Rafa Coelho, mineiríssimas como a Elvira Matilde. Na coleção, shapes com cintura marcada, comprimento mais curto e decotes mais profundos, além da proposta lúdica e alegre que deixou a marca conhecida.

O lançamento da coleção Elvira Matilde by DasPlus acontece neste sábado, 11/10, na loja do bairro Savassi, em Belo Horizonte. O encontrinho terá presença da Silvia, da Rafa e da professora de marketing em moda, Jane Leroy, também integrante do DasPlus. Pra quem não conhece, o blog DasPlus fica no www.uai.com.br/dasplus e a fanpage da EM é www.facebook.com/elviramatildebrasil.

 

 

 

 

Kelly Osbourne lança linha de moda all sizes: Stories…

storiesko00.jpgFim do mistério sobre a tatuagem que fez em sua cabeça! A apresentadora Kelly Osbourne está finalmente lançando a sua tão sonhada linha de moda, a Stories… by Kelly Osbourne. O mais legal é que a coleção é all sizes, do 0 ao 24. \o/

Mesmo tendo eliminado vários quilos, Kelly lembra muito bem como era difícil se vestir bem quando era mais gorda, por isso fez questão que sua linha atenda o maior número de mulheres possível. “A moda tem que ser justa. Nenhuma mulher deve se sentir como se ela não pudesse ser bonita e parecer incrível”, disse, elegante em todos os níveis.

A marca Stories… será lançada no dia 25 de setembro nos Estados Unidos pela HSN e um mês depois estarão à venda mundialmente no site Bluefly. As peças vão custar de 55 a 170 dólares.

“É muito injusto que a América tenha essa desilusão de que o tamanho mais comum seja o 14, e isso é só porque é o maior que os designers de moda costumam fazer”, disse Kelly O em entrevista ao WWD. “Minha missão não é ser a estilista número 1 do mundo. Eu não estou tentando reinventar nada que as pessoas não tenham feito. Eu só estou tentando fazer a moda justa e levar o básico de boa qualidade para todas as mulheres”.

É animador quando uma celebridade que inspira tendências da moda no mundo inteiro compra uma briga dessas, não? ♥

Enquanto a coleção não está à venda e não tem um site próprio, acompanhe a produção da campanha pelo twitter @storiesbyKO

Campanha #PorTamanhosMaiores

Dá muito orgulho ver que a excelente entrevista com a top model plus size Fluvia Lacerda feita pelo Virgula, onde trabalho como Editora de Mídias Sociais, repercutiu bastante na internet e foi o estopim de uma campanha chamada Por Tamanhos Maiores. O movimento pretende mobilizar as grandes lojas de departamento a oferecerem em sua grade de confecções peças maiores que o tamanho 48, além de suporte para as consumidoras deste universo.

De um tempinho pra cá a questão da “mulher real” começou a aparecer mais na mídia, o que é bem bacana, mas tem tudo pra ser um modismo passageiro como as modelos atléticas ou o heroin chic. Fora que em 8 de 10 dos ensaios de modelos plus size as mulheres estão nuas ou seminuas, como se único papel das gordinhas fosse o sexual…

Não sou exatamente uma militante plus size pois tenho a intenção de emagrecer, mas sou a favor sim do respeito e da auto-estima higher. E campanhas de auto-afirmação de mulheres fora dos padrões são extremamente importantes enquanto existirem imbecis como o diretor da Agência Mega, que deixou o bom senso e a falta de educação em casa ao falar uma bobagem como a que ele falou na coluna da Monica Bergamo de hoje.

Além do mais, quem é gorda não é obrigada a se vestir com sacos de batatas, não é mesmo? Quem dera termos no Brasil coleções modernas como a da Asos ou a da Beth Ditto pra Evans… Tão desagradável quanto não ter dinheiro é ter e não poder gastar pois dá pra contar nos dedos as lojas onde consigo comprar roupas. A saber, pois merecem a minha recomendação: Amp, Hering, Elvira Matilde, Santa do Cabaré e Palank. Com exceção desta última, que é especializada em tamanhos grandes, as outras contam com o XG ou com G realmente Grande em suas modelagens.

Como disse a Fluvia Lacerda, não adianta só reclamar e não agir. O mercado só ouve quando dói no bolso, então temos que escrever pras revistas de moda exigindo editoriais com mulheres de todos os tipos, cobrar das lojas de departamento modelagens diversas, enfim, mostrarmos pras empresas que somos um público ávido por consumir. De tanto a gente cobrar, quem sabe um dia todas as lojas possam contar com modelos PP, P, M, G e GG e que ver a Fluvia na capa de uma revista seja tão corriqueiro quanto ver a Gisele Bündchen?

Pra quem quiser participar, a tag no Twitter é #PorTamanhosMaiores e este é o selinho da campanha pra usar em seus blogs:

Veja a entrevista com Fluvia abaixo:

Pro diretor da Mega esta mulher é feia, acreditam?