Essa semana participo de dois eventos de moda: Trama Afetiva e Senac Moda Informação

Tirando a poeira deste blog para avisar que essa semana participo de dois incríveis eventos que buscam repensar e ressignificar a moda!

21/08, quarta, 10h30 – Trama Afetiva 2019 @ Centro Cultural São Paulo – CCSP – Painel “Moda Como Ativismo”, com Flávia Durante (Pop Plus), Vicente Perrota (Ateliê TRANSmoras), Flavia Aranha, Pri Bertucci ([SSEX BBOX]), Carol Gavazzi (Matilda.My), Regina Ferreira (Hutu Casting), com mediação de Karlla Girotto.

22/08, quinta, 10h – Senac Moda Informação 2019 @ Senac Lapa Faustolo – Palestra “Pluralidade de corpos – Produtos e Vendas Plus Size”. O case de sucesso da feira Pop Plus.

Estou disponível para debates e palestras em sua empresa ou instituição. Fale com a Tambor!

Campanha #PorTamanhosMaiores

Dá muito orgulho ver que a excelente entrevista com a top model plus size Fluvia Lacerda feita pelo Virgula, onde trabalho como Editora de Mídias Sociais, repercutiu bastante na internet e foi o estopim de uma campanha chamada Por Tamanhos Maiores. O movimento pretende mobilizar as grandes lojas de departamento a oferecerem em sua grade de confecções peças maiores que o tamanho 48, além de suporte para as consumidoras deste universo.

De um tempinho pra cá a questão da “mulher real” começou a aparecer mais na mídia, o que é bem bacana, mas tem tudo pra ser um modismo passageiro como as modelos atléticas ou o heroin chic. Fora que em 8 de 10 dos ensaios de modelos plus size as mulheres estão nuas ou seminuas, como se único papel das gordinhas fosse o sexual…

Não sou exatamente uma militante plus size pois tenho a intenção de emagrecer, mas sou a favor sim do respeito e da auto-estima higher. E campanhas de auto-afirmação de mulheres fora dos padrões são extremamente importantes enquanto existirem imbecis como o diretor da Agência Mega, que deixou o bom senso e a falta de educação em casa ao falar uma bobagem como a que ele falou na coluna da Monica Bergamo de hoje.

Além do mais, quem é gorda não é obrigada a se vestir com sacos de batatas, não é mesmo? Quem dera termos no Brasil coleções modernas como a da Asos ou a da Beth Ditto pra Evans… Tão desagradável quanto não ter dinheiro é ter e não poder gastar pois dá pra contar nos dedos as lojas onde consigo comprar roupas. A saber, pois merecem a minha recomendação: Amp, Hering, Elvira Matilde, Santa do Cabaré e Palank. Com exceção desta última, que é especializada em tamanhos grandes, as outras contam com o XG ou com G realmente Grande em suas modelagens.

Como disse a Fluvia Lacerda, não adianta só reclamar e não agir. O mercado só ouve quando dói no bolso, então temos que escrever pras revistas de moda exigindo editoriais com mulheres de todos os tipos, cobrar das lojas de departamento modelagens diversas, enfim, mostrarmos pras empresas que somos um público ávido por consumir. De tanto a gente cobrar, quem sabe um dia todas as lojas possam contar com modelos PP, P, M, G e GG e que ver a Fluvia na capa de uma revista seja tão corriqueiro quanto ver a Gisele Bündchen?

Pra quem quiser participar, a tag no Twitter é #PorTamanhosMaiores e este é o selinho da campanha pra usar em seus blogs:

Veja a entrevista com Fluvia abaixo:

Pro diretor da Mega esta mulher é feia, acreditam?