"Quando éramos príncipes": documentário do Canal BIS mostra a conturbada fase psicodélica de Ronnie Von

Ronnie Von + Os Haxixins + Os Skywalkers + Ricardo Alexandre (Foto de Alexandre Romera)

Não tenho mais o que falar sobre o Ronnie Von e sua “fase psicodélica” mais do que já falei aqui nesses 13 anos de blog. Fiquem apenas com o trailer de “Quando éramos príncipes”, documentário de Ricardo Alexandre e Caco Souza, que mostra a trajetória de Ronnie Von, com foco na transição de sua fase como ídolo teen para o experimentalismo com a psicodelia. De arrepiar até o último cabelinho! ;~~

O doc estreia na na faixa BIS Docs, do Canal BIS,  na segunda-feira 02 de dezembro, às 19h30 com reprises na segunda-feira 02/12 às 04h, terça-feira 03/12 às 08h30, quinta-feira 05/12 às 09h, sábado 07/12 às 19h30, sábado 07/12 às 03h30 e segunda 09/12 às 15h30.

Agora é torcer pra que role pelo menos um show especial do Ronnie Von com os Haxixins e Os Skywalkers, hein, hein? Seria lindo na Virada Cultural, num Sesc ou no Auditório Ibirapuera.

Aproveite o embalo pra conhecer um dos orgulhos de mi vida, a homenagem que produzi em 2007, o “Tudo de Novo – Tributo ao Ronnie Von”. Tá no Soundcloud pra ouvir.

Leia mais: Leia no Blog do Bracin uma entrevista com o jornalista Ricardo Alexandre que, por sinal, foi um dos responsáveis por eu me encantar por essa fase muito doida e muito rica da obra do Ronnie.

Minha participação no "Todo Seu", do Ronnie Von

 
Muito amor!

Na última quarta-feira fiz uma participação no “Inesquecíveis”, quadro do programa “Todo Seu”, do Ronnie Von, no qual homenageiam um artista. Como o tema da vez foi Amy Winehouse, fui convidada a falar entre as apresentações da cantora Bárbara Jardim, que fez uma linda homenagem.

Adorei o convite por ter reunido numa coisa só duas de minhas paixões musicais, a Amy e o Ronnie. Fiquei muito emocionada com o carinho que ele demonstrou por mim por causa do tributo ao disco de 68 que eu produzi em 2007. Já tinha ido ao programa há alguns anos, em um papo sobre rock antigo, mas na ocasião quase não consegui falar pois o Marcelo Nova falou mais do que a boca, hahaha. Mas desta vez, apesar da timidez, falei mais! ;-)

Muito obrigada a Bruna Veloso, editora do site da Rolling Stone, que foi quem me indicou pra essa pauta. E pra Anninha Lucas, ótima produtora do programa.

Pra quem perdeu, o programa já está no YouTube! 

Com o Hector e o Ronnie
Lindo cabelo e make feitos pela equipe da TV Gazeta

Tributo ao Ronnie Von faz cinco anos e volta ao ar

Ontem ao assistir a alguns clipes da Video Hits no YouTube lembrei que o Tributo Ao Ronnie Von, que produzi em 2007, já completou cinco anos. Pra comemorar essa data, coloquei-o novamente no ar, desta vez no Soundcloud.

Foi um dos trabalhos que mais gostei de fazer como “ativista cultural”, como me nomeou certa vez o Lúcio Ribeiro. A repercussão na época foi ótima e a obra do Ronnie foi finalmente resgatada e conhecida pelas novas gerações. A única coisa que não rolou foi um show pra lançar o tributo e celebrar este que foi um dos álbuns mais ousados da história do rock brasileiro. Mas nunca é tarde! Quem sabe em 2013, quando o disco completa 45 anos de seu lançamento?

Pra quem não conheceu o tributo na época, ele se divide em duas partes: no Vol. 01 o disco psicodélico de 1968 é inteiramente reproduzido. No Vol. 02, faixas dos discos dos anos 60 e 70. Tem banda que não existe mais, tem gente que infelizmente já partiu, tem gente que montou outras bandas, enfim, vale a pena relembrar e, claro, sempre reverenciar o nosso querido Pequeno Príncipe!

O tributo pode ser baixado aqui. E os discos psicodélicos do Ronnie Von aqui ou aqui.

 
 

Link: www.facebook.com/ronnievon

E a imprensa brasileira se esqueceu de Carlos Imperial

Vergonhosamente a nossa imprensa cultural não lembrou que hoje, 24/11, se Carlos Imperial estivesse vivo faria 75 anos. Pai da música pop no Brasil, ele era extremamente bem informado sobre a cultura jovem muito antes da invenção da internet. Se não fosse ele, provavelmente não teríamos conhecido Roberto Carlos, Erasmo Carlos, Elis Regina, Wilson Simonal, Ronnie Von, Clara Nunes, só pra ficarmos nos mais óbvios e mais famosos.

Deixo aqui minha singela homenagem e recomendo fortemente a leitura de sua excelente biografia escrita pelo Denilson Monteiro, Dez, Nota Dez! As biografias do Erasmo Carlos, do Tim Maia e do Wilson Simonal também falam bastante dele, também não deixem de ler, se é que posso conceber que alguém que se interesse por música nesse País ainda não tenha lido pelo menos um desses livros.

Estou baixando no Audiogalaxy algumas músicas da fase psicodélica do Ronnie Von. “Fase psicodélica do Mãe de Gravata, aquele que cantava A Praça e Eu Amo Amar Você?“, você deve estar se perguntando…

Pois é isso mesmo! Em 1967 o “Príncipe” rompeu com a Jovem Guarda e gravou álbuns extremamente ousados para a época. Esses trabalhos não foram lançados em CD e, infelizmente, são pouco lembrados pelo público e crítica. Dizem até que o cantor é ressentido com isso.

Nestes trabalhos, ele antecipou o rock progressivo e o Tropicalismo, flertou com a soul music, e, como o The Who em “Sell Out”, incluiu jingles entre as músicas. Suas experimentações eram tantas que os lojistas devolviam os discos à gravadora, achando que os efeitos eram na verdade, defeitos. E, além de tudo, foi Ronnie quem sugeriu o nome aos Mutantes!

Esses álbuns de Ronnie Von estão entre os mais raros da música brasileira. Sorte nossa que existe o mp3! Saiba mais no Senhor F! E na matéria do Ricardo Alexandre que saiu na ShowBizz nº 184 (nov/2000), aquela espetacular edição com capa dos Mutantes.

Sugestões de músicas: “Espelhos Quebrados”, “Tristeza num dia alegre”, “De como meu herói Flash Gordon irá levar-me de volta a Alpha Centuri, meu verdadeiro lar” (tomou um ácido, né?) e “Sílvia, 20 Horas, Domingo”, regravada pelo Video Hits.