Sharon Jones de volta aos palcos com o Dap Kings depois de cirurgia para extrair um câncer

Depois de deixar os fãs preocupados com o anúncio de ausência dos palcos por tempo indeterminado para se tratar de um câncer biliar, felizmente a diva Sharon Jones anunciou a sua volta com os Dap Kings.

Dia 14 de janeiro a Daptone lança o novo álbum, Give the People What They Want, e no dia 14 de fevereiro acontece sua volta aos palcos, em Nova York. Quem viu os shows de SJDP no Brasil em 2011 torce até hoje por uma nova passagem do grupo por aqui. ;-)

Pra comemorar essa ótima notícia, a superbanda divulgou um novo clipe em animação, “Retreat”, uma das faixas do novo álbum:

Bem-vinda de volta, Miss Jones! ♥

Link: www.facebook.com/sharonjonesandthedapkings // www.facebook.com/daptonehouseofsoul

Sharon Jones & The Dap Kings feat. Prince (e Prince feat. Sharon Jones)

Sharon Jones & The Dap Kings estão excursionando pela Europa e abriram alguns shows do Prince na França e na Bélgica. Em um show em Paris dia 30 de junho a banda estava arrebentando em “When I Come Home”, um B-side de “I Learned the Hard Way”, quando de repente o próprio Prince aparece pra uma participação rápida mas muito especial!

Foi uma gentil retribuição a participação de Sharon e Binky Griptite no show de Prince no Madison Square Garden em janeiro, quando o SJDP fez a abertura por lá. No saxofone, nada menos do que o grande Maceo Parker, que tocou com James Brown e o Parliament (e também tio de Kellindo Parker, guitarrista da Janelle Monáe):

A admiração de SJDP por Prince também rendeu uma participação no tributo aos 25 anos do álbum “Purple Rain” produzido pela revista Spin. Gravaram “Take Me With U”:

Por falar em Prince, já está mais do que na hora dele voltar pro Brasil, não? A primeira e única fez foi no Rock in Rio 3, em 1991, há 20 anos!!!

Sharon Jones & The Dap Kings em São Paulo

É muito bom poder ver de perto bandas não tão conhecidas do grande público que você adora mas já tinha até desistido de ver no Brasil. É o caso de Sharon Jones & The Dap Kings, que fizeram dois shows em São Paulo, tocaram ontem em Salvador e se apresentam hoje no Rio de Janeiro.

Infelizmente perdi o show de sábado no Auditório do Ibirapuera pois os ingressos se esgotaram rapidamente, mas não perdi o de domingo, que foi gratuito e na área externa. Foi uma noite linda e até o frio deu uma trégua! Uma das coisas mais legais é que o evento reuniu vários jovens que conheceram a banda na semana de aparições na TV brasileira pra divulgação dos shows. Como os fãs da ex-RBD Dulce Maria, que se encantaram pela americana em sua incrível participação no “Altas Horas”, da TV Globo, do qual a popstar também participou. (Na programa, provando que é uma elegante diva, Sharon chorou e se emocionou com a mexicana quando esta respondeu com doçura a pergunta de uma fã apaixonada, e ao final correu para abraçá-la. ;~~)

O repertório é baseado em “I Learned The Hard Way”, o mais recente de seus quatro discos. Como disse o amigo Vini Gorgulho, o que dizer de um grupo com o qual você fica alucinado até na apresentação dos músicos da banda, geralmente o momento mais entediante de um show?

O espetáculo é nos moldes dos shows clássicos de soul, como se fosse um programa de rádio e com um MC, no caso o guitarrista Binky Griptite, conduzindo toda a apresentação. Sharon, aos 55 anos, provou que é possível cantar horrores, dançar, sapatear, fazer piruetas, tudo ao mesmo tempo, e deixou todo o público completamente apaixonado. Comandando a big band, o baixista Bosco Mann (Gabriel Roth), nada menos que o produtor e compositor de quase todas as canções de SJDP e um dos proprietários da Daptone Records, sociedade dividida com o saxofonista Neal Sugarman.

Pra mim foi muito emocionante ver os Dap Kings ao vivo e trocar uma ideia com eles depois do show, afinal eu adoro os artistas do selo e eles gravaram um dos discos da minha vida, o “Back to Black”. Eles não devem aguentar mais contar a história do “empréstimo” da banda pra Amy Winehouse e pro Mark Ronson, mas não dá pra negar que muita gente os conheceu por causa disso, inclusive eu. Mas o que importa é que a partir do B2B felizmente rolou todo esse resgate da soul music, que sempre foi gênero favorito ao lado do rock, e sua apresentação pras gerações mais novas. Se não fosse esse disco provavelmente Adele, Mayer Hawthorne, Eli “Paperboy” Reed e tantos outros novos artistas não teriam ganhado espaço.

Voltando ao show, minhas favoritas foram “If You Call”, “She Ain’t a Child No More”, “Mama Don’t Like My Man”, “I Learned the Hard Way”, “Better Things”, “100 Days, 100 Nights”, sem falar no final devastador com uma cover de “It’s a Man’s Man’s Man’s World”, de James Brown. Deu pra sentir o gostinho do que seria estar em um dos shows da Stax/Volt Tour nos anos 60 ou de algum velho club de Detroit ou Nova York. Noite inesquecível!

Fiz um apanhado dos vídeos das apresentações na TV, show de domingo e links pra entrevistas. Tem também fotos que tirei e, claro, meu momento tietagem de praxe! Divirtam-se! ;-)

Entrevistas
TpmiGG1Uol

Programa do Jô

Altas Horas

Show @ Auditório do Ibirapuera, 12/06/2011

Minhas Fotos

Nova mixtape no ar: Make Me Up # 01

Fiz uma nova mixtape com alguns dos sons que costumo tocar na Make Me Up! A discotecagem da festa não é só com bandas de mulheres mas acabou calhando de eu selecionar só vozes femininas.

Foi a primeira que fiz no Ableton Live, que tô aprendendo a mexer ainda, então não reparem eventuais rateadas… =) Espero que gostem e apareçam na festa!

 
Tracklist:

Laura Vane & The Vipertones – Am I Dreaming 

Sharon Jones & The Dap Kings – She Ain’t a Child No More 
Alice Russell – Two Steps 
MPHO – See Me Now 
Quadron – Pressure 
Noisettes – Wild Young Hearts 
V. V. Brown – L.O.V.E 
Marina And The Diamonds – Girls 
Janelle Monáe – Faster 
The Pepper Pots – Real Tru Love 
Gizelle Smith & The Mighty Mocambos – Gonna Get You 
M.I.A. – XXXO (Andre Pipipi Baile Funk Remix) 
Roisin Murphy – Momma’s Place (Fomite Remix) 
The Bamboos – Never Be The Girl 
Kelis – Acapella (Raw Man Remix)

As novas vozes femininas da soul music

Desde o fenômeno Amy Winehouse, surgiram no mapa vários artistas que revisitam o soul e o funk old school, pra alegria dos fãs da música negra que, como eu, não suportam o R&B pasteurizado que levou nos anos 90 o rótulo de “neo soul”.

Entre as cantoras, a mais conhecida é Sharon Jones, que “emprestou” sua banda, a Dap Kings, pra Amy gravar o estupendo “Back to Black”. Mas há várias outras artistas bem interessantes, principalmente na Austrália, e até na Espanha. Ouça nos vídeos e links abaixo:

Mayka Edjo (The Sweet Vandals) (Espanha)

The Pepper Pots (Espanha)

Alice Russell (UK)

Randa & The Soul Kingdom (Austrália)

Costumo tocar algumas delas em meus sets na Make Me Up e principalmente na Soul Glow, que volta dia 18 de junho na Casa Taiguara. ;-)

Minha nova mixtape no ar

Já havia espalhado por aí mas pra quem não ouviu ainda…

Tracklist:

Nicole Willis & The Soul Investigators – Feeling Free
Ryan Shaw – Do The 45
Mos Def – Casa Bey
Ryan Leslie – You’re Not My Girl
The Pointer Sisters – Don’t Try To Take The Fifth
Raphael Saadiq – Love That Girl
Kim Weston – Helpless
VV Brown – Leave!
Mayer Hatwhorne – Maybe So, Maybe No
Stevie Wonder – For Once In My Life
The Bamboos – Now That you Are Mine
The Budos Band – Ride or Die
Sharon Jones & The Dap Kings – The Dap-Dip
The Rumble Strips – London