Dica de Netflix: “Música da alma”, a história do girl group aborígene The Sapphires

thesapphires
Tentando tirar a poeira deste blog com uma dica de um filme delicioso que acabei de ver no Netflix, “Música da alma” (“The Sapphires”, no original). É um filme australiano lançado em 2012 que não teve muito destaque na divulgação no Netflix, eu mesma nunca havia ouvido falar dele, mas a sinopse me chamou atenção pois sixties + soul + girl group é comigo mesmo. É uma mistura de “Dream Girls” com “The Commitments” então quem é fã de filmes de música tem tudo pra gostar. <3

thesapphires-posterO longa mostra a história, – inspirada em fatos reais -, de um girl group formado por aborígenes nos anos 60 que deixou a Austrália para fazer shows para as tropas norte-americanas no Vietnã. “The Sapphires” joga luz em um povo cuja história nós brasileiros pouco conhecemos, a dos aborígenes, que vivem uma situação muito parecida com a dos índios brasileiros. O roteiro toca na ferida da chamada ”geração roubada” – como são chamadas as vítimas de uma política governamental de aculturação forçada de aborígenes que começou com o século XX e continuou até a década de 60.

Tidos oficialmente como “parte da fauna e flora” da Austrália até não muito tempo atrás, somente a partir de 1967 os aborígenes foram considerados cidadãos australianos. Depois de ter terem quase sido dizimados com o respaldo de leis pavorosas, os poucos que restaram sofrem muito preconceito na sociedade local até hoje e lutam por maior representatividade na política, na mídia e na cultura.

Isso é bem alcançado em “The Sapphires” pois o diretor, Wayne Blair, é de origem aborígene. O roteiro é de Keith Thompson e Tony Briggs, autor do musical de teatro de 2004 que inspirou o filme. Tony é filho de uma das Sapphires originais. As Sapphires são representadas por atrizes dessa etnia: Deborah Mailman (Gail), Miranda Tapsell (Cynthia), Shari Sebbens (Kay) e Jessica Mauboy (Julie), que além de atriz é uma popstar surgida no “Australian Idol”. Os resultados do longa foram ótimos: o longa foi ovacionado por 10 minutos no Festival de Cannes em 2012 e tornou-se um dos filmes de maior bilheteria na Austrália recentemente.

O sucesso do filme atraiu o interesse pelas Sapphires reais. Na verdade somente duas, as irmãs Lois Peeler e Laurel Robinson, foram ao Vietnã. Suas duas primas, Beverley Briggs e Naomi Mayers, permaneceram na Austrália. Todas estão vivas e atuantes nas áreas de Saúde e Educação. Atualmente batalham para recuperar parte de sua história musical.

Não deixe “Música da Alma/The Sapphires” passar batido por você na imensidão de títulos do Netflix. É um filme que certamente vai fazer seu dia mais feliz. ;-)

Para saber mais: Aborígenes – exclusão ainda não reparada
The Sapphires: where are they now?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s